Índice de casamentos é o maior da década

Tentou marcar a data do seu casamento e encontrou uma fila de espera que ultrapassa os 12 meses? Nenhum serviço de buffet disponível? Tem a impressão de que todos os seus amigos estão se casando?

Provavelmente não é só impressão.

Com quedas expressivas até 2002, os números que indicam a quantidade de nupcialidade legal (casamentos no civil) só vêm aumentando desde então e chegaram a 6,7 por mil entre a população brasileira com mais de 15 anos em 2008.

Os dados, que são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram não só o boom dos casamentos nos últimos anos, mas também uma notável alteração no perfil dos brasileiros.

Acompanhando o perfil da mãe brasileira (ou vice-versa…) que tem filhos cada vez mais tarde, a noiva brasileira também envelheceu – e tem em média 26 anos. Esse envelhecimento está provavelmente ligado ao fato de que as mulheres não só buscam seu desenvolvimento profissional, mas também são responsáveis pelo orçamento da casa – contando muitas vezes com uma renda mensal maior do que a de seu companheiro. Os homens se casam, em média, aos 29 anos.

A maior quantidade de casamentos – como em 1999 – continua ocorrendo no grupo das mulheres entre 20-24 anos (29,7%). A diferença é que o segundo lugar agora fica com as mulheres entre 25 e 29 anos (28,4%) ao invés de pertencer ao grupo daquelas que têm entre 15 e 19 anos.

Alguns especialistas atribuem o aumento da quantidade de casamentos e o envelhecimento dos noivos à melhoria de qualidade de vida dos brasileiros. O IBGE afirma que houve melhora no acesso aos serviços da Justiça (registro de nascimento e casamento, entre outros). É importante notar também que o índice de nupcialidade legal está diretamente ligado ao aumento do número de recasamentos (segundas, terceiras, quartas e outras uniões).

De qualquer forma, não são só os jovens animados pelo boom matrimonial. De acordo com a Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados), quase 10 mil homens e 5 mil mulheres com idade superior a 55 anos trocaram alianças em todo o Estado de São Paulo.

Por tudo isso, não é de se surpreender que um dos nichos da economia que mais cresce no Brasil é o segmento de eventos e de festas – e dentro desses, o mais importante seja o mercado de casamentos. A Federação Brasileira de Convention & Visitors Bureaux estima que a movimentação anual do setor de eventos ultrapasse os R$ 30 bilhões só em São Paulo, onde existe o maior e mais caro mercado – sendo desses R$ 88 milhões só as festas de casamento das classes A e B.

Os noivos investem pesado: desde a compra do imóvel (e todas as consequências desse feito: reformas, mobília, eletrodomésticos, decoração…) até a escolha criteriosa dos guardanapos da recepção, aquecendo diversos nichos de mercado.

O que deixa a desejar, entretanto, são os serviços pouco profissionalizados se comparados aos europeus e especialmente aos americanos. Em 2005, os americanos movimentavam já R$ 312,3 bilhões só na indústria do casamento, contando com a maior gama de serviços especializados da área no mundo.

Com o constante aumento dos casamentos brasileiros, muitos dos serviços buscados pelos noivos sofreram profissionalização compulsória e o mercado tenta se adequar à nova demanda. Para encontrar o melhor serviço, aliados ao melhor custo-benefício, as noivas precisam pesquisar, pesquisar e pesquisar – e podem contar com a ajuda e o boca-a-boca proporcionado pelos blogs e comunidades de noivas online que crescem proporcionalmente à quantidade de casamentos no país.

De Thaise Pregnolatto em http://minhanoticia.ig.com.br/editoria/Comportamento/2010/09/20/indice+de+casamentos+no+brasil+e+o+maior+da+decada+9593616.html

———————————————————————————————————————————————-

Justamente pela dificuldade em encontrar verdadeira profissionalização dos serviços de casamento é que devemos divulgá-los quando encontrados. Usemos esse espaço para dizer à outras noivinhas quais os prestadores de serviço/fornecedores que estão fazendo a diferença no nosso sonho?

Para mim, como eu nunca canso de dizer, é a TOP. As meninas são extremamente profissionais, eu tenho toda a assistência que preciso: psicológica, de etiqueta, indicação dos melhores fornecedores, jurídica… Elas estão fazendo decoração também (vão fazer a minha, inclusive!) e estão indo aos EUA para trazer as novas tendências no assunto. Eu não poderia estar em melhores mãos.

E para vocês? Compartilhem!

Ise

Obs.: Você já está participando do sorteio do TrioHope? Clique AQUI para participar.

Anúncios

4 Respostas para “Índice de casamentos é o maior da década

  1. Essa TOP..é top hein Ise..
    Matéria Show, e realmente hj em dia parece que “está todo mundo casando”rsrs.
    Aqui no interior, não é tao dificil em relação às datas, existe alguns fornecedores (não muitas opções), mas em relação a data estive pesquisando e dentro de 10 meses é a média para reservar..(e pagar..hahaha)
    E nosso mundinho virtual é uma ferramenta muito interessante de divulação, até porque, adoramos elogiar o que nos faz nos sentir alegres e empolgadas ante ao big day..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s