Casamento de desconhecidos – parte 1

Estar noiva é ter uma novidade todo dia.

Neste sábado fui pela primeira vez ao casamento de pessoas totalmente desconhecidas e não-ligadas a mim (at all) com a única intenção de avaliar um fornecedor.

Para mim, grande novidade. Primeiro porque eu realmente nunca fui a um casamento sem um mínimo de envolvimento com os noivos. Segundo porque seria a primeira cerimônia que eu de fato assistiria na igreja onde escolhemos casar.

Para o Gustavo, programa de índio de máxima grandeza. Especialmente porque estava muito frio, porque foi uma semana difícil para nós (não nós dois um contra o outro…mas nós contra o mundo e umas peças cretinas do destino na saúde da nossa vida financeira….) e – mais importante de tudo – porque provavelmente ele perderia o primeiro tempo do jogo do Galo.

Esses somos nós.

Que fique bem claro que classificar a tarefa de ir até a Santa Teresinha em um dos 4 horários dados pela Tati para avaliarmos o coral como programa de índio de maneira nenhuma fez meu amor arriscar o bom humor. Ah, não…isso nunca! Ele estava empolgadíssimo em me ensinar como entrar de bicão em um casamento – mesmo eu tendo explicado que tecnicamente não era isso que estaríamos fazendo, visto que a igreja é a casa de Deus e aberta a todos, certo?

Errado. O Gustavo saiu de casa com a ideia de ver o coral sim – mas especialmente de se divertir e de tentar descolar “ingresso” para a festa.

É, é com ele que eu vou casar…rs

Não sabíamos o nome do coral e nem a formação, mas chegamos cedo com a intenção de vê-los tocando as clássicas músicas de elevador e de encontrar um banco bem discreto para que passassemos desapercebidos. Sentamos no penúltimo banco da igreja, bem longe do altar…o último já estava ocupado por uma tia que logo nos contou que era do Recife e que estava lá de bicona para ver como era a cerimônia com as pétalas de rosas….hahahaha

Já contei a vocês que o Gustavo faz amizade com todo mundo?

Ficamos maravilhados com a equipe de foto e filmagem que estava lá. Pedimos um cartão deles. Fiquei encantada com o trabalho que eles estavam fazendo na igreja (tinha uma câmera numa grua para pegar imagens aéreas!!!!) e mais ainda quando entrei no site e vi as fotos…Mandei um e-mail hoje pedindo para a Tati dar uma checada nos preços do Ricardo Hara para ver se é (ou se vai poder chegar a ser depois de muito esforço e de passar fome) pro nosso bico.

De qualquer forma, gostamos muito do coral. Bom inglês, vozes lindas, ótimas interpretações. Assim que descobrir o nome ou a formação deles (na Sta Teresinha não dá para ver o coral, eles ficam no alto, atrás do órgão…) conto para vocês.

Na entrada da noiva, a equipe de filmagem resolveu filmar a noiva do lado oposto ao nosso, ou seja: abriu a porta e só deu a gente no DVD! hahahahaha Eu não sabia onde enfiar a cara, mas meu noivo curtindo a bagunça, resolveu cumprimentar o pai da noiva quando eles estavam entrando na nave.

Eu que estava chorando com a marcha nupcial (virou tradição!), engatei num ataque de risos que eu tentava conter por respeito ao local e aos noivos e aí…chorava mais ainda. E no meio tempo, a câmera na gente. Nem um “GALVÃO, FILMA NÓIS” teria feito a gente aparecer MAIS no DVD da noiva em questão.

Devem ter achado que eu estava apaixonado pelo noivo. Ou pela noiva.

Eu estou numa comunidade no orkut: “Dou risada quando não pode” porque é batata. As coisas mais surreais acontecem comigo quando eu tenho que ficar séria e simplesmente não tenho controle. No 2° ano da faculdade, numa aula de Latim, o professor pediu que eu fosse rir lá fora e voltasse para a aula quando estivesse bem. Sentiram a dificuldade? Mas também…quem mandou o cara falar UOLARE em ritmo de VOLARE e me fazer imaginar os Gipsy Kings cantando em latim? Minha imaginação é fértil, fértil. Por isso vou ser escritora quando crescer.

No meio tempo, eu só cutucava o Gustavo e dizia ” O coral, o coral!!!!” para lembrá-lo do motivo pelo qual ele estava lá. Mas eu nunca chegava a tempo: ele já estava de papo com os parentes de noivo ao nosso lado.

Treinando nossa invisibilidade no fundo da igreja antes do casamento começar

Com tudo isso acontecendo concomitantemente, eu até esqueci de que estava mega-emocionada em pensar que daqui a 7 meses estarei andando pela nave daquela igreja, com todos os nossos amigos e família ali. Parei de chorar e de mãos dadas, eu e o Gustavo prestamos atenção a tudo. Até tomamos as dores dos noivos pelos chatos falando no fundo da igreja – o Gu queria ir lá e mandar parar mas eu não deixei.

Claro que não esqueci de tirar umas fotinhos da “minha” igreja para vocês (eu levei a máquina só para isso):

Fachada da Paróquia Santa Teresinha - Higienópolis

Área interna

Vitrais e lustres

altar

Grua com câmera que a gente AMOU

Viviane e Wagner: obrigada por, sem saber, terem recebido a gente num momento tão especial. E desculpe se vamos aparecer de monte no DVD, não era MESMO a ideia… =) Que vocês sejam tão felizes quanto imaginamos que vocês, de fato, o serão.

Beijos e beijos,

Ise

 

Obs.: Estou aguardando as meninas que falaram que iam me mandar pérolas de noivos para que eu fizesse um post!!! Por exemplo, o meu amado que achou que eu tinha escolhido “meio”-fraque para ele para economizar dinheiro…

 

Anúncios

15 Respostas para “Casamento de desconhecidos – parte 1

  1. Nossa…
    Adorei esse post, ainda mais pq já passei por isso..rsrs
    Não sei se te contei, tb fomos convidados pelo fornecedor (buffet) para avaliá-los. A festa foi exatamente no salão que escolhi e como o buffet seria o mesmo, não queria perder essa festa por nada. Eu sem vergonha nenhuma estava lá, no horário combinado. Quando entramos, conversamos com a recepcionista que logo localizou a nossa mesa, só que para chegar até a mesa não tinha como não passar pelo noivo que estava no lounge. Cumprimentamos o noivo, coitado, olhava para nós achando que fossemos da família da noiva, mas logo a recepcionista explicou a situação, ele deu aquele sorriso sem graça..rsrs , tipo, “invadindo minha festa”…rsrs. Assistimos a cerimônia que foi no próprio salão e ficamos lá ansiosamente aguardando a abertura do buffet. Nisso chegou mais um casal que tb foi convidado pelo Buffet e ficamos lá conversando, achando aquela situacão estranha, pois todos passavam e ficavam olhando para a nossa mesa. Derrepente, lá vem a noiva cumprimentando as mesas e nós torcendo pra ela não passar pela nossa, assim que ela chegou na mesa da frente, ela voltou, mas acho que não foi de propósito, pelo menos não parecia. Pensei “ Ufa, escapamos…”, então levantei e fui me servir, todos estavam com vergonha, não queriam ir, então eu disse “Ué estamos aqui justamente pra isso, comer, beber e avaliar.. falei “Ficam ai então, pq eu vou..rsrsrs, quando penso que não, eis que surge a noiva, bem ali na minha frente, cheia de sorrisos, provavelmente pensando que eu fosse da família do noivo. Veio me abraçou bem forte, agradeceu a minha presença, como se eu realmente fosse parente..rsrs. Eu então, com toda educação retribui o abraço, desejei felicidades e não consegui ficar naquela situação e falei “Estou aqui de penetra na sua festa”, ela olhou pra mim sem entender nada, ai expliquei que o Buffet nos convidou para ver os serviços, avaliá-los e tal. Ela super gentil, disse para aproveitarmos a festa, para fechar com o Buffet , pois eles eram maravilhosos…
    E tem mais, na hora da gravata, não conseguimos fugir..rsrrs. Explicamos para a equipe de filmagem a nossa situação, mas não teve jeito, aquele monte de homem começou a vir em nossa direção, fazendo brincadeiras e tal, ai falei brincando “Pera ai, fomos convidados pelo Buffet, pode por na conta deles.kkk”, um rapaz falou “Estão comendo de graça??Ah vão ter que pagar mais..”.. Foi muito divertido, apesar de estar ali de penetra, aproveitamos e o principal comemos bastante, já que no nosso não vamos comer mesmo..kkk

      • Eles marcaram.
        Só que tinha ficado um pouco receosa, pois conversei com uma pessoa que tinha fechado com eles e me disseram que a quantidade de garçons não foi suficiente, ai fiquei com medo né. Ai ela me disse que quando isso acontece é que algumas pessoas as vezes contrata o serviço para 150 pessoas e acaba levando 200, 250 e não comunica o buffet, que geralmente trabalham com 10% a mais, depois conversando direito com a noiva descobri que foi isso que aconteceu..rsrs Entào, para tirar esse meu medo ela nos convidou para participar da festa, assim poderia tirar minhas próprias conclusões sobre o atendimento. E foi o que aconteceu, o atendimento era muito bom, 1 garçon para cada 4 mesas. E acabamos fechando com eles..

  2. Pingback: Tweets that mention Casamento de desconhecidos – parte 1 « NOIVA MUITO NEURÓTICA -- Topsy.com·

  3. Que comédia hein??hahahahhahaha. Linda igreja!!!Parece com a minha! :)Ontem fui à um casamento tb!!Que emoção!! FALTAM 26 DIAS!!!! aiaiiaa

  4. Cara, eu nao teria coragem de entrar no casamento dos outros, mesmo sendo soh ‘meia’ penetra!!! hehehe

    Muito, muito, muito linda a Igreja, Ise!

  5. Olá!!!
    É muitoo comum em SP ter noivas avaliando os fornecedores da cerimônia religiosa (Coral e Decoração). As igrejas indicam que se faça isso, e os próprios fornecedores deixam um profissional a disposição durante a cerimônia para tirarmos dúvidas.

    Fui em um na igreja que casarei e fiquei impressionada com a profissionalismo da empresa do coral. A menina pegou nossos dados, deu cartão, explicou a diferença dos 2 casamentos que assistimos, a quantidade de profissionais tocando e cantando. VALE MUITO a pena.

    Agora, nunca soube de ir em casamento alheio para degustar… essa para mim é nova…rs.. não teria coragem mesmoooo.

    ADOREI saber o nome da comidinha que postei no meu blog, agora já posso até dizer o que é. =)

    Ainda não fechei fotógrafo e no casamento que fui tb tinha essa grua.. AMEI.. Vou ver se dá no orçamento..rs… não custa tentar, não é mesmo ?!?! ..rs..
    Beijoss

    • Eu acho ir à igreja bem normal. Juro. Mas em festa alheia eu não encaro não…srsrsrs

      Uma variação daquele caprese é montar como se fosse uma torradinha, usando o próprio tomate como torrada, sabe? Aí óbvio que tem que ser o tomate maior. Você coloca muçarela de búfala em cima, cobre com manjericão e rega com azeite puro.

      buonissimo.

  6. Oiee Ise,

    So para dizer q ainda estou viva rsrs dei mta risada com o seu post de hoje!!
    E’ sempre assim, qnto mais tentamos nos esconder, mais aparecemos hahaha ainda bem que vc e o Gustavo tiraram de letra, eu sou bichinho do mato total, n sei nem se teria coragem de ir!

    Agora me fala o que e’ esta grua na igreja?? Amei!! Q ideia fantastica de ter imagens aerea, quero tbm! Vamos conversar com a Tati para ver se ele n faz um pacotao para duas noivas hahahaha.

    Ise, qria aproveitar para te perguntar sobre espacos, ainda estou no dilema e atormentando a vida da Gabi e da Tati 😦 Estou pensando em fechar no Espaco Pompeia, vc chegou a ver por la?? Se quiser me responder por email: alineosouza@gmail.com ai q dificil fazer isso a distancia 😦

    Bjusss

  7. Olá!

    Nem sei como cheguei ao seu blog, mas me diverti incrivelmente nesse post. Ri demais! xD

    Pretendo me casar no segundo semestre de 2011, mas ainda vou começar a organizar tudo e ajuda muito ler suas experiências e opiniões nesse processo…

    Enfim, boa sorte!

    Bjo!

    PS.: Endereço adicionado nos Favoritos imediatamente… 🙂

  8. Pingback: Canta che ti passa…. – O coral da igreja | NOIVA MUITO NEURÓTICA·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s