120 anos de Avenida Paulista e o meu casamento. Tudo a ver! hahahahaha

Queridas (e queridos!),

Eu sempre morei na Zona Leste de SP e fazia tudo por ali. Realmente tudo. Tanto que lá nos anos 80, quando a gente precisava sair do “nosso cantinho” no Tatuapé em família rolava uma expressão sobre a qual eu só fui pensar anos mais tarde: “Amanhã nós vamos para a cidade”.

Como assim, estamos no campo? – eu pensaria anos depois e confirmaria cada vez que tivesse que atravessar a cidade para chegar à USP (on an every day basis….).

Mas quando eu era criaça, ir “à cidade” era ir para São Paulo de verdade.

E eu juro que não é papo da Globo: Paulistano tem uma relação de amor com a Paulista. Eu tenho.

Quando a USP me obrigou a ir “para a cidade” todo dia, foi a Paulista que sempre funcionou como metade do caminho para todo mundo. Era o único lugar justo para encontrar os amigos da USP, cada um morando no seu próprio “campo” particular, obviamente todos bem longe da Cidade Universitária.

A Paulista sempre acolheu todo mundo. A Paulista sempre foi metade do caminho, fácil de chegar, a melhor linha de metrô (eu lembro da Paulista antes do metrô, mas não gostaria de entregar minha idade de bandex assim…).  Nada de específico para fazer e ao mesmo tempo, um grande shopping a céu aberto. Sabe tudo aquilo que você fazia com os amigos na adolescência no shopping, cinema-mc? Na Paulista você faz igual, de um jeito muito mais estiloso. Primeiro porque os cinemas que valem a pena estão todos lá. Segundo porque tem teatro também. Terceiro porque tem opção para todos os bolsos (o que vale muito quando você é estudante ou estagiário). Tem praça de alimentação no Center 3, tem meia dúzia de Mcs espalhados, tem zilhões de opções mais caras ou baratas de encher a pança, meia dúzia de bares, tem o MASP, tem o Trianon, a feirinha de antiguidades…

Nem sei quantas vezes subimos e descemos a Paulista, fazendo um “foot” no estilo interior, conversando e conectando com a cidade. Na Paulista, a gente meio que se sente parte do mundo. É engraçado.

Quando o Gustavo mudou para São Paulo, ele foi trabalhar na região da Paulista. Foi natural que procurássemos para ele um lugar para morar por ali. E isso fez com que a Paulista acabasse virando um pouco parte do nosso relacionamento: era lá que a gente almoçava todo sábado, era lá que a gente ia ao cinema, era lá que a gente passeava, encontrava os amigos e foi lá que ele me pediu em casamento. Ele acabou indo trabalhar bem longe dela, mas como que por destino, eu fui trabalhar lá. E escolhemos morar ali perto também. Nossa casa, nosso lar.

Tudo isso fez com que escolhessemos a Paulista como cenário para as nossas fotos pós-casamento, por sugestão da Tempo Digital, como já falei em vários posts anteriores.

Aí, em meio a minha licença (contei para vocês que quebrei o dedão e estou de molho em casa?), recebi um e-mail de propaganda de um restaurante da Paulista, com uma série de curiosidades como o dia em que nevou ali (em 1918) ou ter sido a primeira via asfaltada de São Paulo. E me deu vontade de falar dela. E de contar para quem não é de São Paulo que não é só papo da Globo não: a gente realmente cria laços com a Paulista. A gente se sente em São Paulo de verdade ali. “A cidade”.

Paulista que acolheu meu amore diretamente de BH, que nos serviu de cenário no namoro, no pedido de casamento e nas fotos do dia D ,  objeto de minhas brincadeiras com o Gustavo: ele me pediu em casamento bem em frente ao hospital onde eu sempre (sempre que tenho um problema!) vou porque é perto do meu trabalho, é bom e é do convênio. E tem uma das melhores maternidades de São Paulo. Eu vivo brincando com ele e dizendo que o filho de um mineiro convicto que nem ele vai acabar nascendo na Avenida Paulista, só para ele ver quem manda aqui! hahahahaha

A Paulista tem tudo a ver com a gente. Eu não poderia deixar passar em branco…

Beijos enormes,

@ise_pregnolatto

tvpregnolatto@gmail.com

Obs.: Mesmo de dedão quebrado, vou ao casamento da Aline no sábado. A TOP está organizando e eu já me ajeitei com a Gabi: vou ficar sentadinha e escondidinha, de pantufa. Mas vooooou! Coloco o Gustavo para tirar fotos e depois conto para vocês como foi. =) Estou emocionada.

Bar na região da Paulista: aniversário do Gustavo 2010

 

Cupcakeria, também na região da Paulista. Feriado de 7/7/2010.

 

Estaçlão Brigadeiro do Metrô - Avenida Paulista

 

E a gente por ali de novo, no início de 2011

 

Casamos no Civil ali também...bem em frente ao shopping Paulista! rs

 

Almoçamos nesse subway, na Paulista, na primeira vez em que ficamos.

 

Tiramos essa foto no primeiro fds do Gustavo morando em SP. Adivinha onde fomos passar a tarde?! hahahaha

 

Primeiro fds morador de SP, vendo o antigo e o novo juntos na Paulista.

 

Auto-explicativa

 

Gu e o MASP

 

MASP e Trianon: cenários de todo dia no caminho do trabalho.

 

Nossa avenida

 

Gu na feirinha do MASP

 

Vão do MASP - Vista para a 9 de Julho

 

Trianon

 

Paulista...

 

Meu último Natal na Paulista sem o Gustavo! hahahaha 2008

 

Foto tirada do consultório médico, em fev de 2009! hahahaha Meu amor pela Paulista é anterior ao Gustavo! hahaha

 

Passeando na Paulista, em Out de 2009.

 

Avenida Paulista, cenário das nossas fotos de casamento. MASP ao fundo.

 

Mais Paulista no nosso dia.

 

Entre o Trianon e o MASP, na noite do nosso casamento.

 

Deu para entender? 😉

Anúncios

7 Respostas para “120 anos de Avenida Paulista e o meu casamento. Tudo a ver! hahahahaha

  1. Quando eu era pequena, também falávamos assim em casa, e até hj, de vez em quando, ainda solto a frase, tanto que uma amiga me chamou a atenção uma vez! rsrs

    Mas finalmente alguém me explicou direito pq #todosama a Paulista!!! Já perguntei para n pessoas e todo mundo dá uma resposta genérica!! hauhauah

    Eu gosto tb, é legal andar por lá, mas nunca tinha entendido o que tinha de mais de outras avenidas!! hehehe

    Agora vou tentar visitá-la com outros olhos!! Adorei seu blog, vou começar a segui-lo! ^^

  2. Minha mãe e minha sogra também falam que vão “para a cidade”, apesar delas já morarem nela (São Paulo e Recife, respectivamente). A “cidade” para elas é o centro antigo.

    Realmente a Paulista é o “point”, principalmente no Conjunto Nacional.

  3. Vou conhecer São Paulo semana q. vem e ficarei na Paulista….o que me recomenda? Somos um casal com um filhote de 1 aninho! Estou doida p/ conhecer Sampa!

    Parabéns pelas fotos do casório…estão lindíssimas!

    Abraços!

    • O que eu recomendo na Paulista? MASP, Trianon, Espaço Unibanco, Rua Augusta, as padarias, cupcakerias, brigaderias nos Jardins, Banco do Brasil Cultural, Casa das Rosas, Livraria Cultura no conjunto Nacional….se quiser, me manda um e-mail explicando exatamente o que vocês gostam de fazer e quanto tempo têm! Bjs

  4. Bonito seu texto e é engraçado que sempre que chego na Paulista me sinto na civilização. Adoro subir a escada rolante e ir percebendo a cidade aos poucos. Apesar de mineiro, entendo bem tudo o que disse.
    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s